Circunstâncias



Dias há em que pareço recordar aqueles momentos um pouco dolorosos de uma separação que nos fragilizou particularmente,pelo sentido do corte,pela dureza da situação, pelas injustiças do laço desfeito.
E hoje foi um desses raros momentos,que acabam por nos fazer expiar alguma culpa,se houvesse;porque tendemos a achar que tivemos culpa ou que não fomos suficientemente amigos de quem se zangou e nos descartou.
Estava no intervalo de uma Formação de 1ºSocorros,que ando a tirar pela empresa e que muito me tem feito aprender ou reaprender noções de ajuda e salvamento de uma vida humana.Vida essa que fica nas nossas mãos,na nossa consciência de darmos o melhor de nós até onde formos necessários e úteis;estava a comentar com uma colega, precisamente,que por vezes nas nossas relações interpessoais fazemos e damos o melhor que sabemos e podemos,que nos esforçamos e estamos presentes nas ocasiões difíceis para ajudar.
E foi assim que recordei algo recente:uma ruptura iniciada pela "vítima" que "assistia" há anos pondo a alma e a dedicação em cada ajuda,em cada passo conjunto,em cada conversa amiga e sincera.Mas muitas mais vezes do que queremos crer,essas pessoas que nos sugam energia,tempo e disposição,alegria e benevolência são as que também nos vão retirando alguma fé no sentido verdadeiro e único de uma Amizade e que nos deixam de pé atrás com o próximo ou nos fazem sorrir ao fim de alguma certeza...
Eu tentei sempre não me tornar mal-agradecida,não me coloquei de um ou outro lado em conflitos,fui sincera e honesta,compreendi e desculpei;claro que errei,pedi desculpa e revi atitudes no feitio(que parece desculpar tudo e todos)...tudo isto é humano mesmo entre laços de sangue.
Não é honesto ser-se amado e ajudado e depois apenas descartar a "muleta" porque se pensa já andar capaz.E foi o que me aconteceu,de quem me chamava irmã e cobria com problemas,que sempre vi como sanáveis por minha entreajuda, e simplesmente mentiu na causa de ruptura:INJUSTIÇA e PARANÓIA!!!
Há circunstâncias que nos levam a recordar,como que dizendo que há cuidado a tomar para não passarmos nós a ser "vítima" novamente numa missão de salvamento...

Sem comentários: