D'Illusions



Há punhais invisíveis que acabam por ferir mais profundamente que uma adaga verdadeira.E não falo de sonhar acordada ou de sentir arrepios que logo passam, falo do coração trespassado e da alma ferida...
Sempre me esforcei, quase sempre me dividi para dar o melhor numa amizade sentida e conquistada;mas há divergências que se mantém porque dois seres não são parecidos, há respostas que nem sempre agradam porque pensamos diferentemente, há estratégias diversas consoante atitudes tidas.
A consciência fica tranquila quando sabemos que demos o que de melhor sabíamos e podíamos em dada altura da vida, em dado tempo da relação;ficamos alerta mesmo sem querer, pensando que não voltaremos a cometer os mesmos erros, as mesmas acções e que não seremos outra vez arrebatados por uma missão voluntária para sermos o melhor amigo, o herói do outro.
Mas o que hoje me dói não é o fim de uma experiência que me ajudou a crescer e a deixar crescer alguém, o que me fere é a injustiça de palavras toscas e de acções camufladas sem a honestidade do olhar nos olhos sincero; o que disfere o golpe final são as atitudes imaturas e as inverdades ingratas que jorram de uma cabeça ao vento, saboreando ondulações consoante a rajada da verdade ou da mentira!
Jamais ousaria dividir-me entre amigos e amantes,pois cada um me faz falta como o ar que me sustém. Cada personalidade me dá um pedaço do que sou feita, um retalho do que me preenche e não seria sincera ao desprezar um por outrém ao capricho de vontades ou maldicências pessoais e freudianas.
Solto-me dessa amizade, respiro fundo com dor mas sabendo que cumpri a minha parte de um trato sentimental. Tenho pena de deixá-la, porque a deriva surgirá e não terá pé em alto mar aquele que se recuse a boiar ou enfrentar as ondas revoltas...
Já durmo tranquila, já sinto mais calma em redor porque sou livre novamente e justa comiga mesma!!

P.S - sê feliz!!!

Sem comentários: